segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Cinco dicas para acelerar os downloads de arquivos nas conexões P2P

O P2P há muito tempo passou do universo dos micreiros para tornar-se uma das razões para assinar banda larga.

Para se ter uma idéia, a estatística mais conservadora indica que 40% do tráfego da internet é da rede de compartilhamento BitTorrent, a mais usada atualmente. Mas, se sua conexão não anda dando bons resultados de download com o P2P, há algumas soluções possíveis, mesmo que uma delas seja confirmar que o provedor de acesso faz traffic shaping para mudar de empresa. Confira, a seguir, algumas dicas para melhorar o desempenho do P2P.

Ajustes automáticos com UPnP



Os roteadores recentes contam com suporte ao padrão UPnP (Universal Plug and Play), que facilita bastante os ajustes de rede para o funcionamento veloz de programas de compartilhamento de arquivos. Mas é preciso ligar essa opção no software usado. No uTorrent, acesse Options > Preferences > Connections e marque a opção Enable UPnP. No eMule, durante a instalação, pressione o botão Configurar Portas Usando UPnP, para que os ajustes sejam feitos automaticamente no roteador. Esse ajustes, no eMule, depois da instalação, ficam em Preferências > Conexão.

Roteador pronto
Se os ajustes de uPnP não funcionam bem com seu roteador, um modo mais rápido de resolver o problema é redirecionar a porta TCP/IP usada pelo programa de P2P diretamente para o PC que compartilha os arquivos. A forma de fazer isso depende da marca e do modelo do roteador, sendo normalmente denominada Port Forwardin ou Virtual Server. Será preciso teclar o número da porta TCP/IP usada (que pode ser obtido nas configurações do programa de P2P), além do endereço IP da máquina, compartilhando arquivos. Para quem se vira bem com o inglês, o site www.portforward.com traz instruções detalhadas para dezenas de modelos de roteadores e programas.

Barre IPs que atrapalham



Há muita gente mal- intencionada compartilhando arquivos falsos nas redes P2P. Uma forma de evitar isso é usar o PeerGuardian (www.info.abril.com.br/download/5271.shtml). Esse programa mantém uma base de dados de endereços IP que enviam dados falsos ou malware. Quando qualquer programa tenta acessar um IP da lista, a conexão é barrada. Dessa forma, a velocidade de download aumenta, por evitar computadores que enviam dados inválidos, além de melhorar a segurança, interrompendo possíveis infecções. O PeerGuardian também pode barrar acesso a sites suspeitos pelo browser, mas esse filtro pode ser desligado caso o usuário deseje. O programa é automático, dispensando quaisquer configurações adicionais. Já o download das atualizações da base de dados pode ser feito de forma automática ou manual.

Teste de traffic shaping



Com a proliferação do traffic shaping entre os provedores de acesso à internet, vários programas e serviços surgiram para tentar detectar essa prática e orientar os usuários a migrarem para um provedor mais amigável com o P2P. Um deles é o site Glasnost (http://broadband.mpi-sws.mpg.de/transparency/bttest.php). O teste é simples. Basta acessar o site e clicar no botão Start Testing. É carregado um aplicativo em Java que testa uma transferência por BitTorrent, verificando problemas comuns em conexões com traffic shaping. Outra idéia é usar o plug-in Network Status Monitor (www.info.abril.com.br/download/5272.shtml) para o cliente BitTorrent Azureus (www.info.abril.com.br/download/4132.shtml).

Criptografia no ar



Uma forma de evitar o traffic shaping, ou pelo menos dificultar a vida de quem o faz, é ligar a criptografia de pacotes, recurso disponível em vários clientes da rede BitTorrent. No uTorrent, a criptografia fica disponível em Options > Preferences > BitTorrent. Na seção Protocol Encryption, escolha a opção Enabled. Com isso, o uTorrent passa a conectar-se com criptografia, apesar de aceitar dados mesmo de quem não os embaralha. Esse ajuste é o melhor, pois se forçarmos a aceitação somente de conexões criptografadas, a velocidade pode cair, já que nem todos os seeders usam essa configuração. No eMule, acesse Preferências > Segurança e marque a opção Habilitar Protocolo de Ofuscamento.

OS TRUQUES DO TRAFFIC SHAPING
Detecção de pacotes

O cabeçalho dos pacotes enviados e recebidos é analisado. Se for P2P, o pacote é atrasado.

Conexões com tempo fixo
O tempo máximo de transmissão de dados por conexão é diminuído. Com isso, é preciso entrar constantemente na fila de seeders e a velocidade de download cai.

Limite de ligações
É criado um limite de conexões simultâneas, suficiente para navegação, mas baixo para o P2P. Com isso, consegue-se entrar na fila de menos seeders e o download fica lento.

Nenhum comentário: